Verbo
Verbo

VERBO 2005


A Galeria Vermelho apresenta de 1, 2, 3, 6, 7, 8 e 9 de julho de 2005 a mostra “VERBO”.

Exposição que reunirá performances, dança e instalações, “VERBO” pretende criar, dentro do espaço da galeria, um ambiente de convivência que permita encontros e trocas de experiências entre público e artistas de diferentes procedências como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Florianópolis e Cardiff (País de Gales), subvertendo as bordas que separam essas diferentes manifestações artísticas.

Grande parte dos trabalhos terá estréia durante a mostra. É o caso das instalações “Quirera” do artista plástico Marcius Galan, “Publicação de arquivo”, da artista Adalgisa Campos, “Are you experienced?” da coreógrafa brasileira residente em Amsterdã Rose Akras, e “CUNA” da artista Chiara Banfi. A coreógrafa Vera Sala apresentaa “ImPermanências”, peça criada e interpretada pela artista. Marcelo Cidade apresenta a performance "Desvio em trânsito". Os artistas Odires Mlászho e Marcio Banfi apresentam, respectivamente, “Limítrofe Cego” e “Como um homem”. Maurício Ianês apresenta a performance “Melancolia”. Lara Pinheiro e seu grupo, composto por dançarinos, músicos e videomakers, estréia a coreografia de “de zero a um”. Débora Bolsoni apresenta “Epitáfio para isopor” O artista plástico Ricardo Carioba e o músico Fábio Torres do grupo “UDDQEM”, apresentam a peça de áudio e vídeo “Portia”. A dupla Gisela Motta e Leandro Lima usam a fachada da galeria como tela de projeção para “De Revolutionibus Orbium Coelestium”, seu mais novo vídeo. Com o apoio da “Wales Arts International“ e curadoria de Tereza de Arruda, os artistas britânicos Simon Mitchel e Phil Babot apresentam “Cleave Away” e “North/South” respectivamente, esta última criada especialmente para a “VERBO”. “Clínica de Performance”, trabalho proposto pelo artista Fabiano Marques, funcionará como um espaço de interlocução que pretende abordar as formas de ação na performance. Através de um atendimento personalizado, artistas e público poderão ter suas obras, projetos e questões sobre performance discutidas sob aspectos formais, conceituais ou históricos. Durante o período da exposição, o artista Fabio Morais enviará diariamente de Paris seu “Semana de Performances”.

Além dessas estréias serão apresentadas também as coreografias “11 minutos”, de Deborah Furquin, peça apresentada recentemente no CCSP, “Curral de apartação” de Mareu Machado, apresentada na Galeria Olido em São Paulo e “Massa de sentidos”, projeto mais recente da coreógrafa carioca Marcela Levi. Lia Chaia participa com a intervenção sonora “Animais”, apresentada recentemente no Tuca Arena. Bruna Mansani apresenta “Ditos e Crenças populares”, performance em que a artista deixa o espaço da galeria e escreve seus “ditos populares” pelas ruas da cidade. O Grupo Eletroporus, da dupla Daniela de Lima e Caleb Mascarenhas, apresenta “Reflexos do Corpo”, e a carioca Vivian Cáfaro a performance “Anatomia”. Do Recife, participa o artista Carlos Mélo com a performance “Confortflex”. “Se eu não fosse real, não poderia chorar”, quarta montagem da peformance onde a ação é realizada por um corpo feito de látex e recheado de gelo, é o trabalho proposto pela artista Andrezza Valentin. Yiftah Peled, artista israelense radicado no Brasil desde 1991, participa com dois trabalhos. O penetrável "Turismo Definitivo 1c", estará disponível em um dos espaços da galeria. Já em "Turismo Definitivo 3", Peled propõe uma ação que contará com a participação do público e ocorrerá na Praça da República no dia 09 de julho. Tiago Judas, em parceira com Luanda Casella, apresenta a performance “CONTÉM CORES – um poema sampler para Hélio Oiticica”. “Radio Aberta” é o trabalho proposto pelo carioca Romano que instalará transmissores de rádio na parte externa da galeria e convidará artistas e público para participarem na difusão de sons e músicas.

Dentro do evento acontece também, no dia 07 de julho às 21h, o lançamento, em parceria com Daniela Labra, da Agência de Performances que representará artistas brasileiros desta área.