Exposies

Insustentável Paraíso

DE 23/09/2014 - 25/10/2014 A

 

(2014)

Na individual “Insustentável Paraíso”, André Komatsu (36) dá
continuidade a sua pesquisa recente que busca, por meio do
erro, do acidente e do conflito, apresentar alternativas possíveis
para sistemas amplamente inseridos na contemporaneidade.
É o que ocorre em Insustentável Paraíso 1 e 3, onde sentenças
foram elaboradas a partir de uma reflexão em torno da
ironia ou dos sentidos dúbios que estas podem gerar, tendo
frequentemente como referência provérbios populares. As letras
são feitas de grades metálicas, material comumente destinado à
construção, estruturação ou proteção.
Na série “(Re)forma Real”, composta por grupos de cartões
postais antigos, Komatsu interfere na imagem de edificações
antigas e teoricamente sólidas, agregando a elas elementos
que apontam para a falência dos ideais que essas edificações
representam.
Integra ainda a individual a série “Falha Estrutural”. Mais uma
vez o erro se torna protagonista e aparece em imagens de
edificações modernistas, criando uma narrativa visual acerca da
falência que, segundo o artista, permeia o projeto modernista
no Brasil.