Exposies

Dias & Riedweg - Cabra criada

DE 22/10/2005 - 19/11/2005 A

 

Desde 1993, Dias & Riedweg realizam em dupla projetos de Arte Pública a partir de suas experiências e dúvidas, dedicando-se a trabalhos interativos e interdisciplinares no campo das Artes Plásticas e da Performance. Com o interesse voltado para a vídeo-instalação, a dupla procura desenvolver experiências artísticas nas quais o público participa diretamente da execução do trabalho, não mais como objeto representado, mas enquanto sujeito atuante.

Em sua primeira exposição em uma galeria de arte, Dias & Riedweg apresentarão duas vídeo-instalações e dois vídeos. “Cabra Criada” tem horário alternativo, estando aberta para visitação de terças a sextas das 18 às 22h e sábados das 11 às 17h.

Comissionado pelo Museu de Arte Contemporânea de Barcelona, a vídeo-instalação “Voracidade Máxima” (2003), aborda a questão da prostituição masculina através de entrevistas com chaperos, prostitutos das ruas de Barcelona. A instalação é composta por duas projeções que ocupam paredes opostas de um cubo. Nas outras duas paredes, espelhos refletem o observador, criando uma confusão de olhares e de identidades. Paralelo à instalação, será mostrado também “Diário de Voracidade Máxima” (2004), trabalho composto por 11 ampliações fotográficas extraídas do vídeo, e que contem o texto das entrevistas. “Flesh”, vídeo-instalação criada em 2005, que atualmente integra a exposição “Le Monde Inachevé”, no Festival de Outono de Paris, é composta de duas projeções sobre uma superfície que retêm, por alguns instantes, a imagem antes dela desaparecer. Em “Flesh”, a dupla apresenta imagens de animais abatidos justapondo-as à de crianças e famílias da região do Cairo, no Egito. O vídeo “David & Gustav”, também de 2005, aborda, através de uma conversa com os artistas Gustav Metzger e David Medalla, polonês e filipino, a questão do exílio. Projeto de arte pública e vídeo-instalação para fachada, realizada em 2004 para o Museu de Arte Contemporânea de Helsinki (KIASMA), “Throw” (2004), obra que ocupará a fachada da galeria, aborda as manifestações públicas ocorridas na cidade como resposta à posições políticas tomadas pelo finlandês.

Maurício Dias (40) nasceu no Rio de Janeiro e é bacharel em Gravura pela Escola de Belas Artes da UFRJ, e mestrado em Artes Visuais na Schule für Gestaltung Basel, Suíça, 1987-1991. Viveu e trabalhou de 1987 a 1998 na Suíça. Trabalhou como artista convidado no New York Printmaking Workshop de Bob Blackburn durante o ano de 1993. Atualmente, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Walter Riedweg (50) nasceu em Lucerna, Suíça. Formou-se Professor de Composição e Regência pela Musik-Akademie Luzern, e estudou Direção de Teatro posteriormente na Scuola di Teatro Dimitri, Verscio, Suíça. Integrou também os workshops de Richard Schechner no Performance Studies Departement da New York University. Vive e trabalha no Rio de Janeiro, oficialmente desde de 1998. Dias & Riedweg participaram da XXV Bienal de São Paulo, SP, em 2002; da 4TH Bienal do Mercosul, Porto Alegre, em 2003; individuais no Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA), em 2003/2004, Museu de Arte Contemporânea de Helsinque (KIASMA), 2004/2005 e FACT & TATE GALLERY, na Bienal Internacional de Liverpool, em 2004. Atualmente a dupla apresenta a exposição individual “Le monde inachevé”, no Le Plateau, dentro da programação do Festival de Outono de Paris.