Exposies

Cássio Vasconcellos

DE 16/11/2006 - 16/12/2006 A

 

Duas instalações compostas por imagens aéreas da cidade de São Paulo fragmentadas em tiras verticais de 3 metros de altura compõem a segunda exposição individual que o artista Cássio Vasconcellos apresenta, de 16 de novembro a 16 de dezembro, na galeria Vermelho. Para se ter uma visão integral da imagem, o artista pro-põe um ponto específico de observação, o que sugere questões relacionadas à complexidade do viver nos gran-des centros urbanos. As instalações apontam também para a distância entre a origem do termo cidade, na Grécia, polis, e a mega metrópole pós-industrial em que vivemos atualmente. Vistos de perto, esses aglomera-dos revelam seus segmentos e setores, enquanto de longe todos os detalhes se perdem e dão lugar a visões abstratas de redes de intersecção. Em termos de experiência real, a cidade só pode ser entendida quando sec-cionada. São Paulo, por exemplo, ocupa uma superfície de 1.500 km², qualquer tentativa de compreendê-la como uma totalidade estaria fadada ao erro. Esses espaços heterogêneos e fragmentados encaminham o indivíduo a viver cada vez mais em meio a um universo de imagens técnicas onde as estruturas sociais funcionam como engrenagens na produção e na distribuição de informação através da rede. Além das instalações, Vasconcellos apresenta também a série “Paisagens marinhas” (1993-1994).

Durante a exposição será apresentado, na sala de vídeo da galeria, o mais recente trabalho da artista Giselle Beiguelman (44), intitulado “Fast/Slow - Scapes”, 2006. Com 15 minutos de duração, o trabalho apresenta imagens de diversas cidades, captadas do interior de carros, trens, barcos e ônibus, com câmeras de celular. O resultado é uma série de imagens feitas em São Paulo, Berlim, Atenas, Paros, Nova York, com dispositivos de qualidade variada, no qual enquadramentos insólitos e pontos de vista particulares à situação de trânsito em grandes cidades e em movimento dentro de espaços abertos, são emparedados, assemelhando-se a “stills on the move”, confundindo limites entre instantes de extrema velocidade, estagnação congestionada.

Além disso, o artista Guilherme Teixeira (29) apresentará as esculturas “Lugar Comum”, combinação entre mesa de jantar e tanque de areia, onde adultos e crianças poderão criar castelos de areia e outras estruturas. “Cobertura”, escultura que ocupará a fachada da galeria, é composta por três tendas construídas em madeira e plástico preto, utilizado na construção civil e em acampamentos de ciganos ou do MST.

Cássio Vasconcellos (41). Exposições Individuais:: "Nocturnos São Paulo", Galeria El Ojo Ajeno, Lima/Peru.
"Nocturnes, São Paulo" e "Panoramas", TRANSITION(S) la Feuille de Route, Festival de Photographie & Image à Biarritz/França, 2005. El Juego de la Mirada, Galeria MAS ART, Barcelona, Espanha, 2004. Architectures Nocturnes, Galerie Cedille, Paris/França,2003. Exposições Coletivas:: Afinidades, Galeria Casa da Imagem, Curitiba/Brasil, 2006. “Standby — Fermimmagini di tempi, luoghi, azioni e pensieri”, Passaporto Associazione Culturale, Palazzo Barolo, Torino/Itália. "Color/Generations: Shomei Tomatsu, Cassio Vasconcellos, Yoshi Abe and others", Tepper Takayama Fine Arts, Boston/EUA, 2005.