Exposies

Detânico Lain - Espaços de tempo

DE 26/05/2009 - 27/06/2009 A

 

Release

(2009)

A linguagem, tema recorrente na obra de Angela Detanico e Rafael Lain, é mais uma vez revista na exposição “Espaços de Tempo” proposta pela dupla para a sala 4 da Vermelho, composta por uma seleção de obras inéditas em São Paulo.

É o caso de LOCALTIME  obraapresentada na individual Um dado tempo um dado lugar apresentada em 2008, no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). Nela, Detanico e Lain propõem uma correspondência entre letras do alfabeto e o sistema de fuso horário que divide o globo terrestre. Para criá-la, a dupla partiu dos estudos desenvolvidos pelo astrônomo e matemático norte-americano Nathaniel Bowditch (1773-1838), que utilizou as letras do alfabeto para identificar os 24 fusos horários em que se divide o globo terrestre.

Wind Spelling(2008) é o título da peça sonora em que nomes de ventos do Sul são soletrados em uma escala sonora criada a partir da desaceleração de um sopro humano. Do som mais curto e agudo, correspondente à letra A, ao som mais longo e grave, correspondente à Z, os sons/letras sucedem-se e sobrepõem-se, enunciando nomes como Elephanta, Minuano e Sirocco. Já em Something Crossing (2008) um texto composto em Ventania, alfabeto derivado do sistema de notação da intensidade dos ventos, é animado de acordo com a direção dos ventos observada dia a dia em uma parte central do Oceano Atlântico.

 

Como em obras anteriores da dupla, Espaços de tempo reafirma a independência da arte no campo filosófico, sugerindo um espaço intermediário em constante trânsito entre o visível e o invisível, estabelecendo aproximações entre arte e linguagem no formato de tipografias, design gráfico, vídeo, arquitetura e som.

Em Carnaval #07 (© CIA DE FOTO + GUAB) - Paisagem Sonora:

Foi extráido o código binário de seis arquivos digitais crus, fotográficos. (imagem 01)
Os primeiros bits das imagens são iguais. São como um cabeçalho que identifica o aparelho usado, software de visualização, etc.
O primeiro grupo que se diferencia é, exatamente, o da informação sobre o momento em que elas foram captadas, ou “clicadas”. O milésimo de segundo que separa cada imagem da outra. A partir daí, tudo é diferente. (imagem 02)
Com esses grupos separados, foi capturado trechos de arquivos digitais sonoros com a mesma sequência, ou seja, numericamente idênticos, da mesma situação das fotos, o carnaval. (imagem 03)
Equipararam esses “sósias” binários e construiram uma música da imagem. Uma paisagem sonora.

Longa Exposição é Série de retratos realizados com câmera fotográfica em modo de video.
O retratado não foi avisado e esperou o clique, que só veio no momento em que a situação ficou insustentável.
Pessoas que, de uma forma ou de outra, trabalham com a imagem.

O vídeo Jardim Pantanal foi realizdo no ano em que São Paulo foi castigada pela chuva, O Jardim Pantanal, apelidado dado pela condição que a área fica em épocas chuvosas, foi castigado e seus moradores aprenderam a conviver com uma situação catastrófica. Horas de um dia “comum” em um dos lugares mais pobres da cidade.

Áudio construído a partir de arquivos open source encontrados na inetrnet.

Dead Pixel é uma instalação da representação da menor unidade de imagem digital. A falha, a morte da imagem. O pixel morto.