Verbo
Verbo

Verbo SLZ
Mostra de performance arte
6 a 24 de novembro de 2018
Mostra de filmes e vídeos Verbo SLZ
Ana Roldán – artista residente

Ana Roldán, artista Suíça-mexicana que vive em Zurique (Suíça), é a primeira artista a ser convidada para a residência da Verbo SLZ, que ocorrerá em novembro de 2018. No dia 13 de novembro, a partir das 18h, Ana Roldán participará de uma conversa aberta ao público, no Chão SLZ.

A residência da Verbo SLZ acontecerá no Chão SLZ, em parceria com a Cozinha Ancestral e Cadê Beltrano, articulações que atuam juntas no espaço localizado no centro histórico de São Luis, no Maranhão. Ana Roldán participa do projeto de residências da Verbo SLZ com apoio do programa na América do Sul «COINCIDÊNCIA» da Fundação suíça para a cultura Pro Helvetia.

Simultaneamente a residência, a Verbo SLZ apresentará durante o mês de novembro a Mostra de filmes e vídeos Verbo SLZ, composta por três programas de filmes e videos. O programa 1 conta com uma seleção de registros de ações apresentadas durante as 14 edições passadas da Verbo, em São Paulo. O programa 2, criado por Thereza Farkas, apresenta filmes e vídeos que pertencem ao Acervo Histórico Videobrasil. Já o programa 3 conta, por sua vez, com uma seleção dos filmes e vídeos apresentados na Verbo 2018 em São Paulo.

O artista Fabio Morais participa do programa 1 da mostra com o registro da ação “The Imbecil”, apresentada na Verbo 2016. Na ação, alguém lê um jornal totalmente em branco onde apenas o título “The Imbecil” aparece impresso na capa. O performer lê durante todo o tempo, ora alheio ao entorno, ora interagindo com as pessoas. Durante a mostra, serão distribuídas gratuitamente cópias do jornal para o visitante que quiser reencenar a ação reproduzindo de forma voluntária e silenciosa uma das estruturas do capital.

Ao fim de cada programa da mostra ocorrerão também conversas abertas ao público sob coordenação de Camila Grimaldi e Dinho Araujo (Chão SLZ) , Sara Panamby e Tathy Yazigi.

O Chão SLZ funciona de terça a sábado, das 11h às 19h, com o funcionamento diário da Cozinha Ancestral (com almoço e café) e a loja e oficina de moda Cadê Beltrano.

Programação

Programa 1
06 a 10 de novembro
Seleção de registros em vídeo de ações apresentadas na Verbo.
Seleção Marcos Gallon

Verbo 2009: Carol Mendonça e Bruno Freire: Muro em diagonal: metáforas espaciais com experiência concreta (2009). Duração do vídeo 15’29’’.

Verbo 2012: Lilibeth Cuenca Rasmussem: The Instrumental Man. Duração do vídeo 15’53’’.

Verbo 2014: Marco Paulo Rolla: da série Ataque Barroco. Dissolução em manchas acidentais, Esmagamento sensível e Clara evidência (2014). Duração do vídeo 23’22’’.

Verbo 2015: Enrique Ježik: 81 Prisões (2015). Duração do vídeo 28’. No barraco da Constança tem!: Piragem etnográfica do complexo. Possibilidades outras de existência – um corpo como campo de forças atravessado por mil correntes e tensões (2013). Duração do vídeo 19’06’’.

Verbo 2016:Fabio Morais: The Imbecil (2016). Duração do vídeo 3’09’’. Dias & Riedweg: Nada Quase Nada (2015). Duração do vídeo 28’25’’.

Verbo 2017: Guilherme Peters: Escola sem partido (2017). Duração do vídeo 19’54’’.
Grupo EMPREZA: Vila Rica (2009 – 2017). Duração do video 22’02’’.

Verbo 2018: Bianca Turner: Rastreando (2016). Duração do vídeo 16’. Elisabete Finger e Manuela Eichner: Monstra (2017). Duração do vídeo 40’.

Programa 2
13 a 17 de novembro
Acervo Histórico Videobrasil para Verbo / Seleção Thereza Farkas
O programa é uma colaboração entre a Verbo e a Associação Cultural Videobrasil

13.11 - O corpo Erótico: Jerk Off 02 – Projeto dízima periódica (2007), de Alice Miceli.

14.11 - Auto-Imagem: Narciso no mijo (2006), de Rodrigo Cass.

15.11 - Trans: Ano Branco (2013), de Luiz Roque.

17.11 - O Corpo Ritualistico: Danse des Masques en Pays Dogon (2014), de Tiécoura N’Daou Mopti.

Programa 3
20 a 24 de novembro
Verbo 2018: seleção de filmes e vídeos
Seleção Ana Teixeira e Marcos Gallon

Andrea Dip & Guilherme Peters: Sob constante ameaça (2018). 25’40’’.

Andrés Felipe Castaño: Distracción y amparo (2017). 6’23’’. Mágicas: José Adler. Voice-over: Barbara Gulobicki.

Bianca Turner: Cidade-Corpo (2017). 14’30’’. Direção de fotografia: Azul Serra, e Uma (2018). 8’35’’.

Clara Ianni: Do figurativismo ao Abstracionismo (2018). 6’12’’.

Desvio Coletivo: Máfia - Exposição Interativa (2016). 2’44’’. Com: Desvio Coletivo. Registro em vídeo da ação “Máfia - Exposição Interativa”, realizada no vão livre do MASP, em 23 de abril de 2016. Realização: Desvio Coletivo (Leandro Brasilio, Marcos Bulhões, Marie Auip e Priscilla Toscano). Imagens e Edição: Viny Psoa. Apoio: Laboratório de Práticas Performativas da USP.

Julha Franz: Insaciável (2016). 2’21’’.

Marcelo Cidade: A perspectiva de John Stagliano sobre as ações de J. Beuys (2008). 12’. Com Natacha Janus.

Pedro Mira & Javier Velázquez Cabrero: El prisionero cognitivo (2018) 26’05’’. Interpretação: Pedro Mira. Câmera: Rodrigo Rodriguez Câmera/Som: Jacobo Zambrano Música: Armando Rosales Apoio de produção: Raúl Mirlo, Santiago Andres Gomez. Edição e iluminação: Javier Velázquez Cabrero. Direção: Javier Velázquez Cabrero Apoio: SOMA, Alumnos 47.

Rubens C. Pássaro Jr: Universo Preto Paralelo (2017). 12’. Direção, produção, pesquisa, roteiro e edição: Rubens Passaro Mixagem: Laurent Mis Pesquisa de Imagens: Rubens Passaro, Gustavo Leitão. Locução: Harpo Software Música: Laurent Mis - Physical Tension Alabê Ôni - Aré - Toque para Bará Ba Kimbuta - Música: Intro U.P.P.

Residência _ apoio do programa na América do Sul «COINCIDÊNCIA» da Fundação suíça para a cultura Pro Helvetia.

Ana Roldán (1977, Cidade do México) estudou História na Escola Nacional de Antropologia e História (ENAH), no México, e Artes Visuais no Hochschule der Künste de Berna, na Suíça. Sua pesquisa tem como ponto de partida eventos históricos, idéias filosóficas, a linguagem, e sistemas diversos para estimular física e intelectualmente o observador criando oposições e deslocamentos entre esses sistemas. Em sua obra, Ana Roldán emprega diversas linguagens, como performance, escultura, instalação, vídeo e colagem. Essa diversidade aparece também em materiais naturais como coco, bambu, madeira, pedras semipreciosas ou couro que tecem uma reflexão acerca de suas origens e usos no contexto das culturas investigadas.

Sobre a VERBO
Iniciativa criada pela galeria Vermelho em 2005, a Verbo mostra performance arte é uma plataforma sem fins lucrativos que anualmente apresenta ações de artistas brasileiros e estrangeiros, com diferentes formações e idades, atuantes em campos distintos da arte atual. O objetivo da Verbo é alargar o conceito de performance arte herdado do século XX programando ações de artistas e grupos ligados as artes visuais, mas também a dança, ao teatro, a poesia e literatura, música, grafite e ativismo.
A parceria entre Verbo e CHÃO desde julho de 2018, busca proporcionar um contato mais alongado entre a cena artística local e os artistas convidados para a residência, gerando, a partir dessa experiência de afecção, desdobramentos no formato de ações que integrarão o programa da edição de 2019 da Verbo em São Paulo e em São Luís.

Serviço:
Verbo SLZ - Mostra de performance arte
6 a 24 de novembro, 2018 – das 11h às 19h
Conversa com Ana Roldán - dia 13 de novembro, 18h.
Galpão (Chão SLZ + Cozinha Ancestral + Cadê Beltrano) - Rua do Giz, 167 – Praia Grande, São Luís (MA)
Atividades gratuitas.

Web: https://galeriavermelho.com.br/pt/verbo
Mais informações: verbo@galeriavermelho.com.br

colaboração:
Associação Cultural Videobrasil

Apoio:
Coincidencia - Intercâmbios culturais Suíça-América do Sul
Fundação Suíça para a Cultura ProHelvetia

Realização:
Chão
Verbo/ VERMELHO