Exposies

Ocupação Silvia Cintra + Box 4

DE 17/10/2017 - 11/11/2017 A

 

(2017)

A Vermelho apresenta, de 17 de outubro a 11 de novembro de 2017, Mamihlapinatapai, a quarta individual de Cadu na galeria.

Paralelamente, a Vermelho recebe a Ocupação Silvia Cintra + Box4, dentro do projeto Galerias Recebem Galerias, uma ação da ABACT em torno do Art Weekend 2017, quando as galerias paulistanas funcionam em horários prolongados durante um fim de semana. Neste ano o evento acontece nos dias 11 e 12 de novembro.

A galeria Silvia Cintra + Box 4 ocupa a Fachada, a Sala 3 e a Sala Antonio da Vermelho com uma seleção de obras de alguns de seus artistas representados: Nelson Leirner, Maria Klabin, Laercio Redondo, Renata Har e Omar Salomão.

Ocupação Silvia Cintra + Box 4

A galeria carioca Silvia Cintra + Box 4 traz à Vermelho uma seleção de obras de alguns de seus artistas representados: Nelson Leirner, Maria Klabin, Laercio Redondo, Renata Har e Omar Salomão.

Nelson Leirner, que teve individual na Vermelho em 2015, mostra uma série de obras produzidas a partir de mapas entre 2002 e 2016, além de ocupar a Sala Antonio com dois filmes de 1975.

Maria Klabin mostra duas pinturas a óleo de grande formato e um desenho. Os trabalhos fazem referência à memória afetiva da artista que desenvolveu essas obras a partir de sua vivência na Ilha Grande, no litoral do Rio de Janeiro.

O trabalho de Laércio Redondo é frequentemente motivado pela interpretação de eventos específicos relacionados com a cidade, a arquitetura e representações históricas. A partir dessa premissa, Laércio propõe uma intervenção na fachada da Vermelho que evoca uma frase atribuída ao arquiteto Paulo Mendes da Rocha, autor do projeto da galeria: A arquitetura não foi feita para enfeitar o desastre. Além da fachada, Laércio mostra uma série de serigrafias da série Desconstruindo Niemeyer.

Renata Har mostra peças de sua mais recente individual na galeria fluminense, que exploram a tensão entre a sacralização e o lixo. Alabastro organizava-se como uma grande instalação composta de mídias variadas que misturavam materiais como tinta spray, betume, lantejoulas, farinha, purpurina, vidro e neon.

Omar Salomão é artista e poeta. Sua ideia ao associar um texto a uma imagem é criar um terceiro elemento ao invés de enfatizar um ao outro. Eles se somam para gerar outros sentidos; para criar novas camadas de compreensão. Suas obras têm em comum a reflexão sobre tudo aquilo que é passageiro e transitório.